“Perto”

A distância amplia os defeitos,
Esbate as qualidades.
A distância induz esquecimento
Da pessoa,
Da sua essência,
Da convivência,
Da cumplicidade.
E quando mais perto novamente,
Amplia os silêncios,
Reduz a percepção das microexpressões.
Não só paramos na dimensão do espaço-tempo,
Como recuamos.
Voltar às mesmas coordenadas demora…

 

Perto.
E quanto mais perto,
Mais perto.
Mais ligações se formam,
Covalentes, pontes de hidrogénio, que dificilmente se quebram
E dificilmente ficamos longe.

Só de perto,
Podemos ser guiados pelos olhos de Alguém.

por Cláudia Pinho

Partilha este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email