A distância amplia os defeitos,
Esbate as qualidades.
A distância induz esquecimento
Da pessoa,
Da sua essência,
Da convivência,
Da cumplicidade.
E quando mais perto novamente,
Amplia os silêncios,
Reduz a percepção das microexpressões.
Não só paramos na dimensão do espaço-tempo,
Como recuamos.
Voltar às mesmas coordenadas demora…

 

Perto.
E quanto mais perto,
Mais perto.
Mais ligações se formam,
Covalentes, pontes de hidrogénio, que dificilmente se quebram
E dificilmente ficamos longe.

Só de perto,
Podemos ser guiados pelos olhos de Alguém.

por Cláudia Pinho

Categories:

Tags:

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *