Adaptado de mensagem de Fernando Quental à Igreja em Fontaínhas – São João da Madeira. 01/09/2020

 

Juízes 6:1-10

“Porém os filhos de Israel fizeram o que parecia mal aos olhos do Senhor; e o Senhor os deu na mão dos midianitas por sete anos.
E, prevalecendo a mão dos midianitas sobre Israel, fizeram os filhos de Israel para si, por causa dos midianitas, as covas que estão nos montes, e as cavernas, e as fortificações.
Porque sucedia que, semeando Israel, subiam os midianitas e os amalequitas; e também os do Oriente contra ele subiam. E punham-se contra eles em campo, e destruíam a novidade da terra, até chegarem a Gaza, e não deixavam mantimento em Israel, nem ovelhas, nem bois, nem jumentos. Porque subiam com os seus gados e tendas; vinham como gafanhotos, em tanta multidão, que não se podiam contar, nem a eles nem aos seus camelos; e entravam na terra para a destruir. Assim, Israel empobreceu muito pela presença dos midianitas; então, os filhos de Israel clamaram ao Senhor. E sucedeu que, clamando os filhos de Israel ao Senhor, por causa dos midianitas, enviou o Senhor um profeta aos filhos de Israel, que lhes disse: Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Do Egito eu vos fiz subir e vos tirei da casa da servidão; e vos livrei da mão dos egípcios e da mão de todos quantos vos oprimiam; e os expeli de diante de vós e a vós dei a sua terra; e vos disse: Eu sou o Senhor, vosso Deus; não temais aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; mas não destes ouvidos à minha voz.”
 
O povo de Israel estava completamente dominado pelos midianitas. Podemos pensar que esta opressão os levou a perder a sua identidade, mas na verdade foi o pecado e o permanecer no pecado que levou a isso. O pecado do povo, levou a várias consequências nomeadamente a serem dominados por outros povos (“Porém os filhos de Israel fizeram o que parecia mal aos olhos do Senhor; e o Senhor os deu na mão dos midianitas por sete anos” Juízes 6:1). Israel colocou outras coisas no lugar de Deus.

 

Hoje como Igreja corremos o risco que aconteça o mesmo que aconteceu na época a Israel. Se pecarmos e permanecermos no pecado, facilmente podemos perder a nossa identidade e envolvermo-nos com o mundo. Não somos melhores do que eles eram… Os tempos são diferentes e o inimigo usa armas diferentes, adaptadas a esta época. Mas o pecado apresenta-se sempre de uma forma discreta e subtil, depois infiltra-se e se não tivermos cuidado passa a fazer parte permanente da nossa vida!…

 

A identidade do crente/da Igreja é Cristo, a forma como Cristo se releva em cada um – “Cristo em nós” (Colossenses 1:26). A Igreja é o corpo de Cristo (II coríntios 12.27), o bom cheiro de Cristo (II Coríntios 2:15) e como Igreja somos embaixadores (II Coríntios 5:20) e soldados de Cristo (II Timóteo 2:3). Será que nos temos identificado como Igreja e da forma que Deus nos caracteriza?… A mensagem da reconciliação/ da graça de Deus, é a mensagem de Deus hoje para a Igreja e essa é a mensagem com que nos devemos identificar e anunciar. Identificarmo-nos como filhos da nação de Israel é renunciar toda a identidade da Igreja hoje…

 

O pecado pode entrar dentro da Igreja, não por fazermos algo errado, mas por não fazermos o que está correto. O tempo passa muito rápido e o inimigo tira-nos tempo. O tempo retirado é tempo perdido para Deus. E o tempo é o terreno que o Senhor usa para transformar e edificar.

 

Mas o que podemos fazer para não perder a nossa identidade?

 

Juízes 6:11-16

“Então, o Anjo do Senhor veio e assentou-se debaixo do carvalho que está em Ofra, que pertencia a Joás, abiezrita; e Gideão, seu filho, estava malhando o trigo no lagar, para o salvar dos midianitas.
Então, o Anjo do Senhor lhe apareceu e lhe disse: O Senhor é contigo, varão valoroso.
Mas Gideão lhe respondeu: Ai, senhor meu, se o Senhor é conosco, por que tudo isto nos sobreveio? E que é feito de todas as suas maravilhas que nossos pais nos contaram, dizendo: Não nos fez o Senhor subir do Egito? Porém, agora, o Senhor nos desamparou e nos deu na mão dos midianitas.
Então, o Senhor olhou para ele e disse: Vai nesta tua força e livrarás a Israel da mão dos midianitas; porventura, não te enviei eu?
E ele lhe disse: Ai, Senhor meu, com que livrarei a Israel? Eis que a minha família é a mais pobre em Manassés, e eu, o menor na casa de meu pai.
E o Senhor lhe disse: Porquanto eu hei de ser contigo, tu ferirás os midianitas como se fossem um só homem.”
 
Tal como Gedeão, não nos devemos conformar com o mundo. Gedeão não se conformou, estava escondido a malhar o trigo no lagar, em vez de na eira como é habitual. Deus não usa pessoas conformadas, que não estejam dispostas a enfrentar as situações e prefiram ficar confortáveis, paradas… Se desejamos que o Senhor nos use, não podemos estar conformados (Romanos 12:1). Gedeão é um exemplo de um homem inconformado que confiava em Deus.

Deus vê o coração e viu que Gedeão era um varão valoroso, algo que o próprio Gedeão ficou admirado. E por isso o Senhor usou-o como instrumento nas Suas mãos. Somos nós um instrumento nas mãos de Deus, tal como Gedeão foi?

 

Gedeão limpou e derrubou os bosques e os ídolos. Ele limpou o terreno para o Senhor utilizar.  Também nós temos de afastar o pecado da nossa vida, e cortar o que nos pode levar a pecar. Se Cristo está em nós, como podemos viver a vida com pecados ocultos que por vezes se descobrem? Somos soldados de Cristo, e como tal devemos ser sóbrios e vigiar constantemente. Somos os mais privilegiados de todos os tempos. Deus não nos vê como imperfeitos, não queiramos pois, viver como Israel. Este evangelho, da graça, é precioso demais para não ser anunciado. Ele valoriza-nos e transforma-nos.

Não nos esqueçamos que o inimigo não perde a sua identidade. Cuidado para não nos aproximarmos mais dele do que de Deus e aos poucos esquecermo-nos de quem somos e para o que fomos chamados!

Categories:

Tags:

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *