Pequenas coisas – grandes estragos

Pequenas coisas – grandes estragos

Adaptado de mensagem de Marcos Roque à Igreja em Fontaínhas – São João da Madeira. 29/09/2020

 

Atos 5: 1-11

Ananias e Safaria acharam consensualmente que guardar uma pequena parte, não fazia mal nenhum. No entanto, essa pequena parte produziu um grande estrago nas suas vidas. Uma pequena mentira, um “pequeno” pecado não tem mal nenhum – foi o que pensaram e que hoje em dia, muitos de nós também pensamos. A integridade do cristão é muito importante.

A Bíblia vai ainda mais longe, não só o Cristão não deve pecar, como se deve afastar da própria aparência do mal (I Tessalonicenses 5:22).

No entanto, não devemos também aparentar o que não somos – viver uma vida dupla. Mas não nos esqueçamos, que podemos enganar os homens, mas nunca a Deus (Hebreus 4:13). Jamais nos podemos esconder de Deus.

 

1. A integridade é o alicerce do nosso carácter. A ação prática do carácter é a marca que deixamos nos outros.

2. A integridade não é apenas fazer o que é legalmente correto, mas é também fazer o que é moralmente correto. No nosso país não é ilegal falar mal de alguém ou ter relações fora do casamento, no entanto nenhuma destas coisas é moralmente e biblicamente correta. Devemos viver não em função do padrão deste mundo, mas segundo o padrão de Deus.

3. Viver com integridade não é apenas uma atitude momentânea, mas contínua (Efésios 4:23-24). Devemos viver com a perspetiva das riquezas futuras. Não troquemos os benefícios eternos, as riquezas tremendas que nos estão prometidas, pelos prazeres efémeros.

Job perdeu tudo, mas não blasfemou contra o Senhor – “…recebemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal?…” Jó 2:10

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.