A identidade de Deus

identidade_amor

Adaptado de mensagem de Francisco Correia à Igreja em Fontaínhas – São João da Madeira. 13/10/2020

 

“Ninguém jamais viu a Deus…” 1 João 4:12

 

Cada pessoa possui um documento de identificação que atesta da sua identidade. Também Deus, possui um cartão de identidade, que atesta de Si mesmo e este é o amor (I João 4:8). É assim que Deus se apresenta perante a humanidade, como sendo amor.

 

Mas o mundo não tem Deus, nem conhece a Deus e por isso muitas pessoas perguntam: Mas quem é Deus, o que é Deus? E é o próprio Deus, que através da Sua palavra tira a dúvida – João 3:16. Deus é amor e prova-o pelo sacrifício do Seu filho. Deus ofereceu o filho do Seu amor, para morrer pelos homens. E esta é a maior prova do Seu amor; assim, ninguém pode duvidar que Deus o ama. Este amor, não é igual ao amor humano, ele “excede todo o entendimento”, o ser humano não consegue compreender… Nós amamos os nossos filhos, esposa, pais… mas este sentimento não é comparável com o amor de Deus. E o homem só experimenta esse amor, quando confia no Senhor, como seu Salvador. E aí, Deus dá o Seu amor.

 

A Igreja, é hoje, a forma como Deus se apresenta ao mundo. É através da Igreja que Ele revela a Sua identidade, o Seu amor. E a Sua identidade foi primeiro revelada à Igreja pelo Seu filho: “… como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela” Efésios 5:25.
Efésios 3: 14-19

“…para que Cristo habite, pela fé, no vosso coração; a fim de, estando arraigados e fundados em amor” Efésios 3:17

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim.” Gálatas 2:20

A Igreja, cada Cristão, passou a fazer parte da linhagem de Deus e deve assim propagar esta identidade, o amor. Trazemos em nós, identidade divina – amor. Ninguém nos pode tirar a identidade de Deus – “Porque estou certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” Romanos 8: 38,39

Devemos em todos os momentos revelar a nossa identidade, proveniente da nossa linhagem -“A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.” Romanos 13:8

 

Como devemos nós, cristãos, comportar-nos perante o mundo? I Coríntios 13. É amor que nos deve identificar e que devemos propagar pelos os outros; um amor desinteressado, que se interessa e que busca o melhor para os outros. Paulo ao caracterizar nesta passagem o amor, baseou-se na pessoa do Senhor Jesus Cristo (Filipenses 2: 2-8).

 

Que o Senhor nos dê a graça de honrar a linhagem que trazemos de Deus, de Cristo, da Igreja – o amor!…

Partilha este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email