As marcas de Jesus

prego_cruz

Adaptado de mensagem de Carlos Oliveira à Igreja em Fontaínhas – São João da Madeira. 25/10/2020

 

Lucas 24: 13-40

 

Após os dois discípulos que foram a caminho de Emaús, chegarem a Jerusalém, eles rapidamente quiseram partilhar com os outros o encontro incrível que tinham tido e a boa notícia da ressurreição do Senhor Jesus. Aquando isto, Jesus mostrou-se no meio deles e falou-lhes dizendo: “Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; tocai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés.” Lucas 24: 39-40.

 

O que se via nas mãos e nos pés do Senhor Jesus, que Este lhes queria mostrar? Porque ficaram as marcas das feridas do Senhor Jesus? Jesus trazia as marcas das feridas da crucificação (João 20:27) Ele se quisesse poderia ter removido estas marcas na ressurreição. Porque é que Ele não o fez?…

Essas marcas provavam de que era Ele mesmo. A crucificação desfigurou-o (Isaías 56:14) e a ressurreição transformou o Seu corpo num corpo glorioso. Pelo rosto não era possível identifica-lo, na verdade os discípulos olhando para o Seu rosto pensaram que se tratava de um espírito. Estas diferenças certamente dificultavam o Seu reconhecimento, então as marcas do sofrimento testificavam d`Ele e mostravam que era Jesus.

 

No entanto, as marcas continuam com Ele no Céu, porquê?

  • As marcas são o tema da adoração eterna dos anjos e serão também o tema da nossa adoração eterna quando estivermos no Céu (Apocalipse 5: 1-14) – “Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças.” Apocalipse 5:12. É impossível olhar para o Senhor Jesus e ficar indiferente; ninguém poderia ter realizado a obra que Jesus realizou. O pecado afetou toda a criação de Deus, todo o Universo. As marcas de Jesus, lembram que tudo será restaurado novamente, como resultado da obra que Ele realizou.

 

  • As marcas do Senhor Jesus, no Céu, são o Seu ornamento. O Senhor encontrou tamanha glória associada às marcas das Suas feridas, que nunca quis renunciar a elas.

 

  • As marcas de Jesus, são os Seus troféus, troféus do Seu amor.

Um soldado orgulha-se das feridas na batalha; são prova do seu sucesso no combate. Assim também, as marcas de Jesus são prova da sua vitória contra a morte. O sangue inocente de Cristo, venceu a morte. A morte nunca se tinha deparado com duas situações: a inocência de Cristo (que nunca pecou) e vida em Si mesmo. A morte nunca encontrou alguém com vida em Si mesmo e isso foi fatal para ela; a morte bebeu vida e morreu.

Para além disso, foi através das feridas que o precioso sangue de Jesus saiu.

David pegou na espada de Golias, após o ter morto e colocou-a diante do Senhor. Assim também o Senhor Jesus fez com as Suas feridas, prova da sua vitória, colocando-as diante de Deus Pai.

 

  • As marcas de Jesus, são testemunhas e defesa quando intercede por nós. Jesus não precisa de falar para nos defender… As Suas feridas falam mais alto que um grande discurso. Elas são prova do Seu sacrifício e do Seu sacerdócio (Jesus é sacerdote eternamente – 5 vezes esta frase é referida na Bíblia).

Mas as feridas de Jesus, são também testemunhas contra os perdidos. Hoje, elas trazem salvação, mas “amanhã”, irão condenar aqueles que não creem.

 

  • As marcas visam nunca nos esquecermos do que Ele fez por nós. Somos tão propensos a esquecermo-nos… Aqui na Terra, lembramo-nos da morte de Jesus partilhando o pão e o cálice (na ceia do Senhor), mas no Céu não precisaremos desses símbolos, vê-lo-emos a Ele e às Suas marcas, que nunca nos deixarão esquecer do amor incrível que tem por nós.

 

  • As marcas mostram que o sofrimento é necessário. Não há ninguém que não passe por sofrimento. O sofrimento está associado ao crente e é necessário (“confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus. Atos 14:22). Se o cabeça da Igreja que é Cristo, sofreu, é natural que todo o corpo sofra.

Mas o sofrimento não é só para os crentes. Na cruz, estavam 3 pessoas e todos sofreram – Jesus, o crente e o perdido. Os perdidos também sofrem; o caminho para o inferno pode parecer muito aveludado, mas é agreste, é severo!…

Jesus sofreu para se compadecer de nós; se há alguém que entende o sofrimento é Jesus, que padeceu o maior sofrimento (… Atendei, e vede, se há dor como a minha dor, que veio sobre mim, com que o Senhor me afligiu, no dia do furor da sua ira. Lamentações 1:12). Quando sofrermos, lembremo-nos que antes de nós Ele sofreu. Ele compreende-nos, sofre connosco e pode ajudar-nos como ninguém! Se por vezes pode parecer que Deus está a esconder o seu rosto de nós, lembremo-nos que antes disso Deus escondeu o Seu rosto do Seu filho.

Mesmo quando morreres, sabe que Jesus morreu por ti e estará contigo (Salmo 23:4).

 

As feridas causadas pelo pecado, também falam de nós. Quantas vezes o pecado não deixa feridas. Os membros de Jesus feridos pelo pecado, Ele levou para o Céu. Também assim será connosco.

O Senhor sara, Ele não rejeita, Ele não lança fora. E esta graça, a Sua graça, deve levar-nos a adorá-Lo.

 

Link para a pregação em formato áudio

Partilha este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email