O Amor que nunca deve deixar de ser

amor_tic_tac

Adaptado de mensagem de Eliseu Alves à Igreja em Fontaínhas – São João da Madeira. 10/11/2020

O Amor torna tudo mais fácil.

 

Muitas vezes praticamos a “arte de falar” e esquecemos-nos de praticar a “arte do silêncio”…

Mesmo na oração! A oração devia ser menos falarmos com Deus e mais ouvirmos Deus falar connosco.

A oração deve ser bidireccional, mas a primeira palavra deveria ser sempre a de Deus.

 

Por vezes podemos cair no erro de pensarmos que já sabemos tudo sobre Deus e a Sua Palavra. Mas isso de nada vale, se porventura não se significar mudança na nossa vida.

 

O verdadeiro Amor precisa de duas coisas para existir:

1. Pacto/Compromisso – que é o fundamento profundo do nosso amor;

Só conseguimos amar se recorrermos ao sobrenatural. O pacto de amor é sobrenatural, porque o Deus de amor é Ele próprio sobrenatural!

Amar é muito mais do que sentir. O amor não é apenas sentimento. Os sentimentos são como um cavalo sem freio – são a parte superficial de uma relação. E é nos momentos mais difíceis que precisamos de ancorar no amor o pacto estabelecido.

O pacto foi a melhor solução para todas as relações desde o dia fatídico no jardim do Éden.

2. Perdão/Manutenção – Porquê? porque todos falhamos e sem perdão não há amor.

Todos nós temos fracturas nos relacionamentos. E essas fracturas são muitas vezes queremos desculpa-las por terem sido feitas por “um bem maior”… Mas isso é por vezes esconder o verdadeiro cerne: orgulho e prepotência.

E só conseguimos perdoar se recorrermos ao Deus de perdão.

 

Devemos policiar as nossas emoções e sentimentos. E estar atentos aos nossos estados de alma.

 

Paulo escreveu um “catálogo” de emoções tóxicas: amargura, ira, cólera, gritaria, blasfémia.

“Toda amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfémias, e toda malícia seja tirada de entre vós. Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.” Efésios 4.31

E Paulo aconselhou a serem retiradas imediatamente de entre nós.

 

O que o Senhor faz por nós não é humano, é divino, sobrenatural… e é n`Ele que devemos basear todas as nossas relações de Amor!

Partilha este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email