A parábola do semeador

semente

Pregação de Simão Santos à Igreja das Fontaínhas – São João da Madeira, 21-03-2021

 

A Palavra de Deus teve sempre um impacto determinante, rápido e visível naqueles que nela creram: houve quem emigrasse, quem voltasse ao trabalho após um turno da noite, mas também quem abdicasse do seu orgulho e reputação; houve até os que se desviassem de vidas inúteis, vergonhosas e desgraçadas para serem cidadãos respeitáveis, irmãos de confiança, pais e mães dignos de toda a honra.

Todos conhecemos algum cristão (ou vários) cujo coração e mente se tornaram um solo fértil e adequado para a Palavra de Deus germinar e fazer aparecer todo o tipo de coisas desejáveis; são aqueles que têm sempre uma boa palavra, que têm um equilibro raro e invejável, que sorriem mais, mesmo tendo tantas dificuldades como os outros, que têm um coração mais agradecido e mais consciente do que Deus tem feito e tem dado – estamos a falar de quem tem sempre disposição para aplicar e se adaptar à Palavra de Deus.

 

A Bíblia apresenta quatro tipos de postura em relação à Palavra de Deus e nós faremos bem em colocarmo-nos no último lugar desta passagem:

“Escutai vós, pois, a parábola do semeador.
Ouvindo alguém a palavra do Reino e não a entendendo, vem o maligno e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que foi semeado ao pé do caminho;
porém o que foi semeado em pedregais é o que ouve a palavra e logo a recebe com alegria;
mas não tem raiz em si mesmo; antes, é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição por causa da palavra, logo se ofende;
e o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera;
mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro, sessenta, e outro, trinta.”
Mateus 13.18-23 (ver Marcos 4 e Lucas 8)
1. caminho – as aves comeram-na;  – não tem vida
2. pedras – cresceu rápido, mas secou; não tinha raiz; – tem vida
3. espinhos – foi sufocada;
4. boa terra – deu fruto a 100, 60 e 30

1. “Ouvindo alguém a palavra do Reino e não a entendendo, vem o maligno e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que foi semeado ao pé do caminho;” Mateus 13:19

Refere-se a quem ouvindo, não compreende; não por ser difícil de entender, mas porque é ilógico para si (a Bíblia é altamente sem sentido para a maioria…), para o seu estilo e visão de vida.

No que toca a descrentes, são aqueles que não aceitam que seja gratuito, que envolve o nosso esvaziamento completo, que nos coloque em baixo e a Cristo em cima como Criador absoluto, como quem fez tudo por quem não podia nada.

No que toca a cristãos, são os que não aceitam que a Palavra de Deus afecte o seu temperamento, relacionamentos, finanças ou gestão do tempo. Aos que ouvindo a Palavra de Deus, não a recebem como verdadeira, útil ou divina, Satanás garantirá que o seu efeito é nulo – não queremos ser assim.

Necessidade de ouvir com fé – havia aqueles a quem Jesus nem explicava as parábolas, dado o seu coração ser duro.

 

2. “porém o que foi semeado em pedregais é o que ouve a palavra e logo a recebe com alegria; mas não tem raiz em si mesmo; antes, é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição por causa da palavra, logo se ofende;” Mateus 13:20,21

Refere-se aos que ouvem a Palavra de Deus precipitadamente (a Bíblia é um assunto sério, com efeitos alargados), sem absoluta consciência das suas implicações, que depressa dizem sim, para logo dizer que não; que rapidamente se afastam ou caem em pecado (imaturos/infantis);

Falando de descrentes, são o que num minuto passam a cristãos, falando logo a “aparente linguagem” bíblica, tratando logo todos por “irmão”, mas assim que chove ou sabem que os cultos são semanais, se afastam (mas a Palavra de Deus pretende mudar-nos!);

Nos cristãos, este tipo de solo são os sempre disponíveis para “ir até aos confins do mundo” por Cristo, a participar em actividades extra, sempre com ideias para mudar alguma coisa, mas ausentes ou indisponíveis para o que realmente interessa – assuntos de VALOR ESPIRITUAL.

Não queremos ser assim… a vida cristã que satisfaz é a vivida até às últimas consequências; cristãos até à última célula, firmes, seguros e inabaláveis – para si, mas também uma ancora e um farol para a sua família, igreja e conhecidos.

 

3. “e o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera;” Mateus 13:22

Refere-se aos apressados, divididos entre dois mundos e com clara inclinação para um deles – o material. Com as prioridades invertidas, não estando em paz de nenhuma forma.

Relativamente aos descrentes, são aqueles cujo versículo preferido é “Deus ajuda àqueles que se ajudam” – NÃO É UM VERSÍCULO DA BÍBLIA!; que acham que têm tempo para se reconciliarem com Deus; que hoje nunca é o dia de se encontrarem com Deus (apesar de hoje ser o dia aceitável) – precisamos de PARAR e nos PREPARARMOS para nos ENCONTRARMOS com DEUS.

Nos cristãos são os sempre ocupados, ausentes a maior parte do tempo, ansiosos e mais facilmente irritáveis; aqueles que privilegiando a vida secular expõe facilmente a sua carnalidade e ausência de crescimento cristão;

Tendencialmente serão pessoas arrependidas, amarguradas por investirem tudo no que tem já um fim determinado (não é o tipo de coração que queremos ter…)

Não queremos escolher mal; isso fazem algumas crianças que não conseguem ver além, mas não adultos responsáveis ou cristãos instruídos.

    • é importante parar e estabelecer uma prioridade: na mente de Paulo, viver é Cristo; na de Pedro, para quem iremos nós? na de David, na tua presença cada dia é melhor que mil dias noutro sitio qualquer.

4. “mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro, sessenta, e outro, trinta.” Mateus 13:23

Aquele que ouve e compreende; que ajusta a sua mente e coração de modo que o ensino bíblico faça sentido – são pessoas SALVAS e ESCLARECIDAS, exemplos e inspiração.

É assim que queremos ser:

    • Decidindo com critério bíblico: trabalho, igreja, educação dos filhos,…
    • Vendo o mundo pela janela da Bíblia: identificando o pecado, discernindo os perigos, escolhendo o melhor caminhos,…
    • Ganhando alicerces bíblicos: sendo sóbrio, ensinando os seus,…
    • Vivendo à sombra da eternidade: cuidando de outros, não se desequilibrando, alegria e simpatia rara,…

Fruto em três medidas: 100, 60 e 30

 

Partilha este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email